Substâncias branca e cinzenta

 

Os neurônios não se distribuem igualmente por todo o tecido nervoso. Seus corpos celulares (que contêm o núcleo da célula) e os dendritos (que são arborizações locais) se agrupam em algumas regiões do encéfalo e da medula espinhal, que por isso adquirem uma coloração mais intensa. Não cinzenta, curiosamente, e sim rosada - mas como o tecido nervoso perde a cor ao ficar fixado muito tempo, aos poucos essas regiões vão se tornando cinzentas. Por isso são chamadas genericamente de substância cinzenta. Na substância cinzenta, os corpos celulares dos neurônios podem ficar agrupados em camadas (e então ela se chama córtex), em aglomerados globosos (e então ela se chama núcleo), ou podem ficar dispersos, sem nenhuma organização particular (e nesse caso se diz que a estrutura é uma rede, ou retículo, ou formação reticular).

Outras regiões do tecido nervoso podem conter quase exclusivamente axônios de neurônios. Quando esses axônios são revestidos de mielina, o tecido ganha uma coloração esbranquiçada (na verdade, amarelada - mas esse tecido também desbota com a fixação, ficando esbranquiçado): daí o nome de substância branca que essas estruturas recebem. A substância branca, portanto, é uma região de conectividade entre partes do sistema nervoso. No sistema nervoso central, os feixes de axônios na substância branca são chamados, dependendo do calibre, de tratos ou fascículos; já no sistema nervoso periférico, feixes de axônios são chamados de nervos.