Divisões principais do sistema nervoso central


O sistema nervoso central é dividido em duas grandes porções: encéfalo e medula espinhal.

 

Encéfalo


O encéfalo, conjunto de tecidos nervosos dentro da caixa craniana, pode ser dividido em três grandes estruturas: o cérebro (formado pelo telencéfalo e pelo diencéfalo), o cerebelo (na parte posterior no encéfalo, na nuca) e o tronco encefálico (formado por mesencéfalo, ponte e bulbo).

Essas divisões correspondem às porções do tubo neural de onde elas se originam no desenvolvimento do sistema nervoso. A aparência complexa do encéfalo adulto esconde o fato de ser todo ele organizado, na verdade, como um grande tubo. O telencéfalo é a porção mais anterior, seguida de diencéfalo, mesencéfalo, ponte e bulbo; o cerebelo se forma por trás, da junção de parte das estruturas que dão origem ao tronco encefálico.

 

Telencéfalo


A porção mais anterior, o telencéfalo, é a que ocupa o maior espaço no cérebro humano, devido ao grande tamanho do córtex cerebral. A ele chegam todos os sinais que vêm do corpo pelo tronco encefálico e diencéfalo. O córtex cerebral processa todos esses sinais ao mesmo tempo, além de seus próprios sinais internos relacionados a memórias, valores e projeções para o futuro, agregando complexidade e flexibilidade ao comportamento.

O telencéfalo é composto pelo córtex cerebral, pela amígdala (que, como você vê, não é a da garganta, que para evitar confusões agora se chama tonsila) e pelo estriado. Estas últimas duas estruturas são internas (ou "subcorticais), ocultas sob o córtex cerebral. Este, por sua vez, pode ser dividido didaticamente em 5 lobos:


- o lobo occipital é o mais posterior, responsável pela visão;
- o lobo parietal fica imediatamente posterior ao sulco central, a dobra mais profunda do córtex, e processa todos os sinais relacionados ao espaço corporal, inclusive a qual parte desse espaço dedicamos nossa atenção;
- o lobo temporal se destaca na lateral do cérebro, abaixo de outra grande dobra (o sulco lateral), e processa informações auditivas, visuais, e ainda participa da representação da identidade pessoal (self) e do julgamento moral;
- o lobo frontal corresponde a toda a porção do córtex anterior ao sulco central. Aqui estão as áreas do córtex que organizam o comportamento, desde a elaboração de metas e estratégias, passando pela representação de valores e tomada de decisões, incluindo julgamentos morais, até o comando dos movimentos propriamente ditos;
- o lobo da ínsula, não mostrado na figura, é uma dobra interna do córtex (donde o nome, que significa ilha), responsável por monitorar em permanência o estado funcional do corpo, e portanto as emoções, gerando informações que são então usadas pelo lobo frontal para ajustar o comportamento ao nosso estado interno.

 

Diencéfalo


A segunda divisão do encéfalo na ordem rostro-caudal é o diencéfalo, formado por vários núcleos. Os maiores são os que, em conjunto, formam o tálamo, passagem obrigatória para quase toda a informação que é encaminhada ao córtex cerebral. Abaixo dele fica o hipotálamo, estrutura vital que recebe o tempo todo informações sobre o estado funcional do corpo e regula todos os sistemas que são capazes de modificar o funcionamento do corpo, inclusive através do comportamento. Acima do tálamo fica a glândula pineal, ou epitálamo, que também ajuda a integrar o funcionamento de corpo e cérebro. Outras estruturas do diencéfalo são os globos pálidos, parte dos núcleos da base juntamente com o estriado telencefálico, e o núcleo subtalâmico.

 

Mesencéfalo

 

O mesencéfalo é a porção seguinte no eixo encefálico, composto de vários pequenos núcleos, vários dos quais integram funções sensoriais e motoras; de outros com função moduladora; e de grandes feixes de fibras que interligam o córtex cerebral ao cerebelo e à medula espinhal. Aqui ficam por exemplo os colículos, que usam informação visual e auditiva para comandar movimentos elementares de orientação, como o reposicionamento dos olhos e orelhas (para os animais que conseguem movê-las!); o núcleo de Edinger-Westphal, que comanda a acomodação dos olhos, e o núcleo do nervo oculo-motor, que comanda os movimentos laterais dos olhos; e a substância negra e a área tegmentar ventral vizinha, fontes da dopamina que modula a motivação e a regulação dos movimentos.

Ponte e bulbo


A ponte e o bulbo são as porções mais caudais do eixo do encéfalo, contíguas à medula espinhal, e com algumas funções semelhantes às da medula, como a primeira integração de informações sensoriais antes de encaminhá-las ao cérebro e o controle dos músculos da cabeça. Além disso, e à diferença da medula, na ponte e no bulbo estão pequenos núcleos com uma função fundamental: modificar o funcionamento de todo o sistema nervoso central, fazendo-o entrar no estado de vigília (acordado), de sono, e todos os sub-estados.

 

Cerebelo


Ele responde sozinho por apenas 10% do volume encefálico, mas 80% de todos os neurônios que temos dentro do crânio. Tantos neurônios parecem estar relacionados à função do cerebelo: monitorar e ajustar, em tempo real, o funcionamento do córtex cerebral.